O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Condomínio vizinho


Caros confrades/passageiros!
Das janelas da cozinha e da área de serviço, do apartamento que resido, vejo os apartamentos dos meus futuros vizinhos, que brevemente estarão habitando-os.

Este novo edifício me fez lembrar da imperdível película de 1954 "Rear Window", aqui intitulada "Janela Indiscreta", que minha amiga e parceira de ofícioMarilia Sirolli assistiu na época do lançamento no Cine Metro. 
Juro pela alma imaculada do Marques de Sade, que não ficarei, com os futuros vizinhos, sob a égide da Sra. Gladys Kravitz, a vizinha bisbilhoteira e mexeriqueira da Samantha Stevens! 

LUZES! CÂMERAS! AÇÃO!


Caloroso abraço! Saudações discretas ou seriam indiscretas?
Caloroso abraço! Saudações discretas ou seriam indiscretas?
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem


domingo, 29 de junho de 2014

Marcelo Gleiser

Caros confrades/passageiros!
É sempre com grande satisfação que leio a imperdível Coluna, do notável cientista Marcelo Gleiser, publicada todos os domingos no periódico "Folha de São Paulo".
Fiquei muito aborrecido com A "Folha" quando decidiu privar os leitores de ler a imperdível Coluna somente na edição impressa , porque optou publicá-la numa semana na edição impressa e na semana seguinte somente a disponibiliza na edição cibernética.
Caloroso abraço! Saudações inquiridoras!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/marcelogleiser/2014/06/1477803-o-futebol-dos-deuses.shtml


sábado, 28 de junho de 2014

Construção de edifício comercial

Caros confrades/passageiros!
Da janela da área de serviço, do apartamento que resido, acompanho a construção de mais um edifício comercial.
Caloroso abraço! Saudações observadoras!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

Clube do Professor

Caros confrades/passageiros!
Buaaaaaaaaá...
Não terei a prerrogativa de assistir uma película no Clube do Professor, às 11 horas, porque a sessão foi cancelada por conta do jogo.
Buaaaaaaaaá...
Caloroso abraço! Saudações desapontadas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

.Mal entendido



Caros confrades/memorialistas!
A preocupante notícia, que foi publicada no endereço eletrônico apontado abaixo, deixou-me propenso a refletir como as interações virtuais podem também gerar mal entendidos, como aconteceu comigo e um querido amigo, que tenho em alta estima e consideração muito antes do mundo virtual, porque ELE é real e desde o terceiro ano da década de 90 do século passado, atura este agora reles escrevinhador outonal, bem como insulso professorzinho primário e coordenador aposentado.
Caloroso abraço! Saudações esclarecedoras!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Baleia

Caros confrades/memorialistas!
O periódico "Diário do Grande ABC" publicou uma reportagem na edição do dia 25, do mês em curso, informando que a "Baleia", como muitos andreenses chamam o Hipermercado Extra, encerrará suas atividades comerciais na semana vindoura.
Escrevi a missiva a seguir transcrita e a enviei ao DGABC, que a publicou na edição de hoje, todavia a missiva que enviei não foi publicada na íntegra.
Fico cá a divagar os motivos que levaram o editor a tornar esta decisão.
Será que o copidesque foi por questões de espaço ou não foi considerado de bom alvitre tornar de domínio público seu inteiro teor?
Caloroso abraço! Saudações inquiridoras!
Até breve...
João Paulo de Oliveira 
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

"Senhor Editor, bom dia!
Fiquei surpreso e concomitantemente melancólico ao ler na edição de hoje, deste prestigioso Diário, que a Baleia deixará de funcionar, na semana vindoura, por questões mercantilistas.
Lembro, com saudades, da construção da Baleia e, se minha combalida memória não falha, o projeto da edificação deste empreendimento comercial previa também a construção de um edifício comercial de vários andares que, como é do conhecimento de todos os andreenses, nunca saiu do papel.
Minha saudosa mãe fazia compras neste hipermercado e, na época que começou a funcionar, eu era adolescente, que tinha como um dos programas diletos, acompanhado da minha turma, ou como dizem na contemporaneidade: tribo, adentrar neste recinto comercial para paquerar e trocar as mercadorias de lugar nas prateleiras. Um dia fomos flagrados por fiscais da loja fazendo esta peraltice... Claro que fomos severamente admoestados e nunca mais tive a audácia de praticar este ato ilícito. Saudades deste tempo que jamais retornará.
As reminiscências que tornei de domínio público deixa patente como a Baleia tornou-se parte do cotidiano dos andreenses, que a partir da semana vindoura deixarão de ter mais esta opção de compras e, mais do que isto, ficarão com a impressão que foram privados de algo que fazia parte de suas identidades. 
Fico cá a divagar quantos casamentos foram factíveis, porque os "pombinhos" se conheceram num dos corredores da Baleia...
Reminiscências à parte, o que também deixou-me surpreso é que até os dias em curso, eventualmente faço compras na Baleia, principalmente quando vou visitar uma irmã que reside nas imediações e, neste ocasiões, o vejo sempre lotado e nunca fico menos de 20 minutos na fila.
Depois do fechamento, quem sabe até antes do finall desta década, vejamos um daqueles imponentes condomínios, destinados a classe média alta, no local que funcionava a nossa querida Baleia, que terá como vizinho um mega empreendimento, digo, templo também mercantilista.
Isto posto, trago à baila o seguinte questionamento: será que de fato este empreendimento comercial tornou-se deficitário ou uma oferta milionária para adquirir o terreno deu comichão nos proprietários da Baleia?
Depois que a Baleia "morrer na praia" será incluída no rol da memória andreense, como por exemplo, o alarido das porteiras da Estação de Santo André alertando os pedestres e máquinas rodantes que ficariam fechadas ou abertas para a passagem dos trens de subúrbio, bem como aqueles que tinham como final a Estação do Valongo (saudades), além dos trens de carga, da Papelaria e Livraria Belletato, do Foto Muito Bom, dos Cines Carlos Gomes, Santo André, Tangará e Tamoyo, do Banco da Lavoura, das Lojas Eduardo e Ducal, do afiador de facas, que sabíamos que passava nos logradouros públicos que morávamos por conta do inesquecível alarido que faziam, dos ônibus vermelhos que ligava à Vila a Santo André, do salão de barbeiro do Sr. Antônio que ficava em frente a mansão dos Jovitas, lá na Vila Assunção (nunca sei dizer se no 1º ou 2º Largo), da fábrica de tecelagem, que ficava no mesmo local da agonizante Baleia.
Saudações memorialistas/inquiridoras.
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver"

Rita Haywhort (1918-1987)


quinta-feira, 26 de junho de 2014

Sobrados geminados

Caros confrades/memorialistas!
Este conjunto de seis sobrados geminados estão localizados na Avenida Bosque da Saúde.
Acredito que foram construídos no final da década de 50 ou início da década de 60 do século passado.
O que me chamou a atenção é que somente o 1º sobrado manteve as características originais.
Caloroso abraço! Saudações arquitetônicas
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Annette Kellerman (1886--1975) - Uma das valorosas e destemidas pioneiras

Caros confrades/passageiros!

No dia em curso resolvi trazer à baila a destemida Annette Marie Sarah Kellerman (1886-1975), mais conhecida como Annette Kalerman, que foi uma das pioneiras feministas a não esmorecer, inclusive quando foi para o xilindró no ano de 1907 - porque - de acordo com a rançosa moral vigente na época, ousou exibir seu corpo de modo não velado numa praia dos Estados Unidos, mais especificamente no estado leste de Massachusetts, com um maiô de peça única, que deixava visível, para os apreciadores vorazes de ostras, seu desejável corpo.

A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, venera a Annnette, que teve a desgraça de viver o auge da sua idade primaveril numa época obscurantista, onde o corpo estava predominante velado e aí daqueles(las) que cometessem o "sacrilégio" de desvelá-lo..
Caloroso abraço! Saudações destemidas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira 
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

terça-feira, 24 de junho de 2014

Dia de São João


"O povo saiu, novamente, à rua, para viver o S. João como há muito não via.
Diziam os avós, que vivem a noite pelas ruas da invicta desde miúdos, que já não viam tanta gente desde a juventude, bem como uma desgarga de fogo tão forte.

Eu só me lembro de ver a cidade a abarrotar há uns anitos, no euro.
O santo conseguiu dar a volta ao amigo e o tempo estava magnífico!
Para o ano há mais!" 
Fonte:https://www.facebook.com/profile.php?id=1791004531&fref=ts


Caros confrades/passageiros!
Juro pela alma imaculada da megera de Queluz, que não fiquei com inveja do relato da minha querida amiga e parceira de ofício, que reside o reino distante além-mar, Stela Trigo, porque nos brindou com uma significativa reportagem de como os habitantes da cidade Invicta festejam com muito entusiasmo o "Dia de São João". 

Resta-me - infelizmente - dizer que aqui, este riquíssimo Folclore, é comemorado com muito mais ênfase nos estados setentrionais.

Acho pertinente acrescentar à reportagem da minha querida amiga lusa, que já foi peixeira dileta do Infante Dom Henrique de Avis (1394-1460), a magnífica e enternecedora interpretação da inigualável cantora lírica Bidu Sayão (1902-1999), alusiva a São João:

LUZES! CÂMERAS AÇÃO!

Caloroso abraço! Saudações juninas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira 
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

Edificações antigas

Caros confrades/passageiros!
Antes de chegar no Museu da Imigração, na visita que fiz no dia 14 do mês em curso, na companhia de alguns confrades do grupo memorialista "SP Antigo - Memória e Preservação" resolvi fotografar algumas edificações antigas bem conservadas localizadas no bairro paulistano do Brás, mas infelizmente algumas delas estão pichadas.
Além de ficar cá a divagar as gerações de paulistanos que ali viveram ou trabalharam, bem como as incontáveis alegrias, dramas, fornicações, nascimentos, falecimentos, que aconteceram no interior destas edificações, também fiquei exasperado ao ver que a horrenda fiação elétrica e telefônica sustentadas em postes, que maculam a paisagem urbana.
Será que um dia teremos a fiação elétrica e telefônica passando por tubos subterrâneos?
Caloroso abraço! Saudações memorialistas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Contrabando


Caros confrades/passageiros!
Fico feliz em saber que já consigo entender um texto na língua de Cervantes, como o a seguir transcrito:

"Secuestran 29 mil pastillas de "Viagra" en Misiones
Su valor supera los 260 mil pesos.
Estaban escondidas en un micro que transportaba turistas desde Paraguay.
Los medicamentos usados para tratar la disfunción eréctil deben contar con un certifi
cado de la ANMAT para ser importados.
La Administración Federal de Ingresos Públicos (AFIP) secuestró en Misiones 28.500 comprimidos de Sildenafil y 600 unidades de Tadalafina, ocultos debajo del asiento de un micro procedente de Ciudad del Este, Paraguay. Los medicamentos estaban en un bolso y su valor es de 261.580 pesos.
El procedimiento se llevó a cabo por agentes de la Aduana que realizaban un control de rutina en el Puente Internacional Tancredo Neves, en la ciudad de Puerto Iguazú.
A los funcionarios les llamó la atención un bolso que estaba debajo de un asiento. Al revisarlo, encontraron los blíster ocultos dentro de pares de medias.
La Taladafina y el Sildenafil, conocido como Viagra, son medicamentos usados para tratar la disfunción eréctil y su importación debe contar con un certificado de de la Administración Nacional de Medicamentos, Alimentos y Tecnología (ANMAT)."

Juro pela alma imaculada de Francisco Pizarro que eu não era um dos turistas.
Caloroso abraço! Saudações contrabandeadas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

Mário Quintana

Caros confrades/passageiros!
Ché, de acordo com o nobilíssimo e inigualável escritor Mário Quintana (1906-1994), sou um vovozinho tiritante, todavia sinto que ainda tenho o frescor de um petiz sonhador!
Max! Traga meus sais centuplicado!
Caloroso abraço! Saudações sonhadoras!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

domingo, 22 de junho de 2014

Rose Marie Muraro (1930-2014)



Caros confrades/passageiros!
Lastimo saber que a existência - de mais um ser vivente radiante, destemido e erudito - cessou.
Saudações compungidas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

A cidade de São Paulo no século XIX

Caros confrades/passageiros!
Apreciei sobremaneira a reportagem "De volta ao século 19", publicada na edição do dia em curso, da Revista SÃOPAULO, que vem encartada na edição dominical do periódico "Folha de São Paulo".
Caloroso abraço! Saudações paulistanas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver
 
http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/2014/06/1473214-ruas-de-sp-tinham-touradas-treinos-de-artilharia-e-forca-no-seculo-19.shtml

sábado, 21 de junho de 2014

Mercantilismo

Caros confrades/passageiros!
A que ponto chega o mercantilismo.
Este anúncio do Consórcio Mercabenco está exposto na Avenida Fábio Eduardo Ramos Esquível, importante artéria diademense, que faz parte do Corredor ABD.
Somente um tolo para acreditar que de fato ganhará a viagem à capital do reino distante além-mar, se aderir ao consórcio de um caminhão, porque é evidente que o preço da viagem está incluído nas parcelas da máquina rodante.
Caloroso abraço! Saudações atentas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Jazigo da família Aldino Pinotti



Derek Michel

O suposto Derek Michell, assecla dos irmãos metralhas, larápio especialista em aplicar golpes em internautas crédulos, chegou até a enviar a mensagem do golpe no nosso idioma, porque normalmente as recebo no idioma do nobilíssimo escritor Edgar Allan Poe (1809-1849).
Quero que este meliante vá lamber as botas do odioso nazista Josef Mengele (1911-1979) nos quintos dos infernos.
Caloroso abraço! Saudações atentas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver
                     
               LUZES! CÂMERAS! AÇÃO!
 
"Jim D. MacArthur
18 de jun (Há 2 dias)
Olá,
Lamento se intrometer a sua privacidade dessa maneira. Há um certo cliente falecido do meu banco que deixou para trás EUA $ 18 milhões. Eu busco a sua parceria em receber este fundo. Se estiver interessado, responda imediatamente para obter informações detalhadas.
Obrigado,
Derek Mitchell"
O suposto Derek Michell, assecla dos irmãos metralhas, larápio especialista em aplicar golpes em internautas crédulos, chegou até a enviar a mensagem do golpe no nosso idioma, porque normalmente as recebo no idioma do nobilíssimo escritor Edgar Allan Poe (1809-1849).
Quero que este meliante vá lamber as botas do odioso nazista Josef Mengele (1911-1979) nos quintos dos infernos.
Caloroso abraço! Saudações atentas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver
LUZES! CÂMERAS! AÇÃO!

"Jim D. MacArthur
18 de jun (Há 2 dias)
Olá,
Lamento se intrometer a sua privacidade dessa maneira. Há um certo cliente falecido do meu banco que deixou para trás EUA $ 18 milhões. Eu busco a sua parceria em receber este fundo. Se estiver interessado, responda imediatamente para obter informações detalhadas.
Obrigado,
Derek Mitchell"

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Epístolas paulianas

Epístolas Paulianas
Caros confrades/passageiros!
Ontem, ao chegar no condomínio que resido, depois de mais um dia (ou seria menos um dia?) a gozar ( a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, adora o verbo gozar principalmente no presente do indicativo) as prerrogativas da aposentadora, tive dois dissabores.
O primeiro foi quando entrei no elevador e encontrei uma criatura. Como minha saudosa mãe preparou, com muito amor, zelo e presteza, seu 6º bebezinho para que fosse sempre pautado pelas normas da civilidade a cumprimentei. Para meu espanto a peçonhenta não respondeu e somente o fez - rangendo os dentes - quando fui incisivo ao reiterar o cumprimento. Não tolerei esta ato de incivilidade e sai do elevador social e esperei o elevador de serviço e quando abri a porta, para minha grata satisfação, encontrei o Michael, um jovem garboso e gentil, que reside no 7º andar. Quando relatei o que tinha acontecido minutos antes, de pronto ele identificou a criatura, que reside no 1º andar e também de pronto a classificou como antissocial, porque já presenciou reiteradas situações que demonstra que "ela" não é afeita a interações sociais.
Certamente meus caros amigos, que me receberam de braços abertos no condomínio, a Analice Rocha, o Daniel Sant'ana e o Gualter Fernandes Araujo, conhecem a criatura...
O segundo foi quando desci do elevador e peguei as correspondências que estavam na porta da cozinha.
Sabem o que deixou-me exasperado, querem saber mesmo?
Antes meio minuto para o reclame:
http://www.youtube.com/watch?v=YOJIvWHyEd4
Recebi U M A MULTA DE TRÂNSITO.
Odeio receber multas de trânsito, levando-se em conta que estou sempre atento as sinalizações, todavia no primeiro vacilo                L Á V E M  MAIS  UMA  MULTA.
Como minha estimada amiga Marcia Zanusso reside a duas quadras do local que fui flagrado pelo imparcial olho eletrônico, peço-lhe a gentileza de me informar o local exato deste olho mexeriqueiro, porque tenho conhecimento de um irmão dele depois do cruzamento da Rua Vergueiro.
Acho que preciso fazer terapia para não ficar sem chão quando recebo
U M A  M U L T A  D E  T R Â N S I TO.
Somente me resta rogar:
- Valha-me Nossa Senhora dos Condôminos e Motoristas Multados Desvalidos.
Caloroso abraço! Saudações desvalidas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Epístolas Paulianas - Conversando com a minha amiga, a Dona Miquelina Pinto Pacca

Caros confrades/passageiros!
Foto de 1910.
Fonte:
http://arqtodesca.blogspot.com.br/

Entre tantos incontáveis vieses, trago à baila um:

Epístolas Paulianas

Conversando com a minha amiga, a Dona Miqeulina Pinto Pacca

Meu telefone portátil vibrou! Preciso dizer quem era?!... Claro que era a minha amiga, a Dona Miquelina Pinto Pacca (huhum)!
Ela disse que esta fotografia é do seu acervo familiar e o distinto casal de banhistas, que aparece da direita para a esquerda em primeiro plano, são seus avós maternos.
O avô era o Sr. Nicanor Salgado (1883-1958) e a avó, a Sra. Pureza do Rego Salgado (1886-1965), que na contemporaneidade têm seus despojos mortais depositados no sepulcrário do Paquetá, localizado na cidade paulista de Santos.
Quando eles foram eternizados nesta fotografia na Praia do Gonzaga, na cidade de Santos, a Dona Pureza estava grávida e depois de seis meses nasceu na Santa Casa de Santos, a minha mãe. a Sra. Maria das Angustias do Rego Salgado (1910-1989), que 31 anos depois trouxe-me à luz neste maltratado e fascinante mundo na capital paulista, mais precisamente no Hospital Samaritano.
Também nesta fotografia foi eternizado meu tio avô materno, irmão da minha mãe, o Sr. Juvenal do Rego (1886-1924), que aparece na fotografia segurando uma sombrinha. Como o meu tio não apreciava ostras, mas somente caracóis, conheceu alguém com a mesma predileção, que também foi eternizado nesta fotografia e aparece próximo dele de costa e de braços cruzados, o Sr. Inácio Monteiro (1887-1924). Eles moravam no bairro paulistano do Brás e tiveram suas existências interrompidas de supetão em consequência de uma bomba que foi jogada e explodiu quando eles estavam abraçados sob a égide de Morpheu, em sua morada, num dos sangrentos dias da Revolução de 1924, que ceifou a vida de muitos paulistanos.

Depois de versar sobre seus entes queridos eternizados nesta fotografia, a minha amiga a Dona Miquelina Pinto Pacca, que é uma das milhares de corintianas de carteirinha e, nesta condição, também vibra intensamente para que o Brasil seja Hexacampeão e, amanhã, como faz habitualmente todas às quartas-feiras, no período vespertino, das 14 ás 15h30, irá à Cripta da Catedral da Sé, desfiar o Santo Rosário, rogando fervorosamente a intercessão do poderoso Cacique Tibiriçá e da Nossa Senhora de Guadalupe, com o escopo de implorar de joelhos e mãos postas para que a nossa amada Pátria, que ainda tem palmeiras e sabiás (espero que continue...) ganhe o cobiçadíssimo título futebolístico, nesta modalidade esportiva e, se este auspicioso fato se concretizar, trazer aos meus patrícios momentos deleitantes para que possamos esquecer momentaneamente os cruciantes problemas que nos afligem, como por exemplo, a nefasta corrupção, a má distribuição de renda, o sucateamento dos serviços públicos e a nossa incivilidade.
Caloroso abraço! Saudações miquelinaianas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

PS - Esqueci de dizer que a Dona Miquelina mandou lembranças para a minha caríssima amiga
Nivia Andres e não vê a hora de recebê-la para o chá das cinco na sua suntuosa morada, localizada na Serra da Cantareira, onde a espera as apetitosas e suculentas rosquinhas da copeira Hermenegilda!
Aproveitou também para dizer que a copeira Hermenegilda, quando finalmente resolver casar com o bombeiro Godofredo (eles estão noivos desde o ano de 1999),
a convidará para madrinha de casamento. Nem preciso dizer que a Hermê, como carinhosamente a Nivia chama a Hermenegilda contrairá dengue, digo, núpcias na Catedral da Sé.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Jazigo das famílias Santos e Silva

Caros confrades/passageiros!
Considero os "campos santos", como dizia minha saudosa mãe, um espaço público privilegiado e riquíssimo para pesquisadores que apreciam sobremaneira cultuar a memória e não deixar cair no esquecimento aqueles seres viventes que deixaram de existir e deixaram marcas indeléveis entre nós, no âmbito familiar e público.
Cada jazigo que visito, no sepulcrário de Vila Euclides e outros, como por exemplo, o que visitei na cidade paulista de Pirassununga, no fatídico dia 18 de maio do ano em curso, para cumprir o triste dever de ser um dos partícipes que acompanharam o sepultamento da Dona Olga, que considerávamos como se fosse da família, me deparo com jazigos, que são fontes instigadoras para aprofundarmos - posteriormente - sobre o modo de vida daqueles que ali têm depositados seus despojos mortais, como ocorre no "campo santo" de Pirassununga, onde foi marcante a participação dos seus cidadãos da Revolução Constitucionalista de 1932 e muitos jazigos atestam este fato histórico.
Caloroso abraço! Saudações memorialistas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Novo leitor

Caros confrades/passsageiros!
É um deleite inefável ter a prerrogativa de adentrar o João Paulo Trineto no fascinante e interminável mundo da leitura!
No meu viés a formação de novos leitores começa assim!
Caloroso abraço! Saudações leitoras!
Até breve...
 
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

domingo, 15 de junho de 2014

Jazigo da família José Ildefonso de Paula Severino

Caros confrades/passageiros!
O incansável paladino em prol da nossa combalida memória, o escritor e jornalista, Ademir Medici, voltou a publicar as fotografias, que lhe enviei, dos jazigos do Cemitério de Vila Euclides, que é tombado pelo COMPACH-SBC e é um museu a céu aberto.
Espero que a municipalidade são-bernardense inclua este Cemitério-Museu no roteiro cultural da cidade.
Que tal esta minha sugestão, caros Doraci,Jorge Magyar, Jorge Jacobine e Marcos Shigueharu Tatiyama, dedicados funcionários da Secretaria de Cultura de São Bernardo do Campo?
Caloroso abraço! Saudações memoralistas/culturais!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

Museu da Imigração









Caros confrades/passageiros!
Agradeço os costumeiros e valiosos préstimos fotográficos do meu querido amigo Gilberto Calixto Rios, que gentil e prontamente atende meus rogos ao clicar este reles escrevinhador outonal, bem como caquético professorzinho primário e coordenador pedagógico aposentado, quando somos partícipes de eventos culturais.
Ontem não foi diferente, porque é de sua lavra várias fotografias, que registram a visita dos felipetes ao Museu da Imigração, localizado na Rua Visconde de Parnaíba nº 1316, no bairro paulistano do Brás.
A suntuosa e centenária edificação serviu de hospedagem e triagem dos imigrantes, que foram obrigados a deixarem seus países de nascença, em busca de melhores condições de vida na nossa amada Pátria, que ainda tem palmeiras e sabiás (não sei até quando...) e aqui fincaram raízes, contribuindo sobremaneira para a nossa pujança.
Depois de cumprir esta função precípua – a hospedaria - transformou-se em Museu e teve esta finalidade suspensa para reformas durante alguns anos. No mês passado foi novamente entregue a população – restaurado - e com o escopo de perpetuar a memória dos Imigrantes. As instalações ficaram a contento, todavia como bem observou o confrade/memorialista Marcelo, a maior parte dos objetos expostos no Museu não é composta de objetos da época que recebia levas intermináveis de Imigrantes, mas sim são apresentados de maneira virtual.
Fico cá a divagar, bem como ter incontáveis vieses sobre o modo de vida dos imigrantes, bem como deve ter sido dificílimo a adaptação num país muito distante dos locais que o viram chegar à luz.
Fiquei com a impressão que a nova fase do Museu da Imigração tem outro foco diferente de como estava estruturado antes da restauração.
Caloroso abraço! Saudações imigratórias!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Dia de Santo Antônio

Caros confrades/passageiros!
Me deparei com esta mordaz publicação num dos imperdíveis blogs do Todesca:
http://arqtodesca.blogspot.com.br/
e, como o dia em curso é dedicado a Santo Antônio, não resisti em também publicar aqui, porque pode deixar esperançosas as mulheres que ainda não encontraram as tampas de suas panelas.
Caloroso abraço! Saudações casamenteiras!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Modo de vida

Caros confrades/passageiros!
Ontem, ao manter um colóquio telefônico, com meu dileto amigo, Nelson, ou melhor dizendo um leitor piagetiano "liberal", tive ciência que uma pessoa de suas relações ficou surpresa ao descobrir fatos da minha insulsa existência, que até então não sabia, todavia mais estupefato ficou este reles escrevinhador outonal, bem como insulso professorzinho primário e coordenador pedagógico aposentado, porque meu modo de vida tenho que - única e exclusivamente - dar satisfação àqueles que vivem sob minhas expensas.
Este trecho de um texto, que o Todesca publicou num dos seus imperdíveis blogs:
http://arqtodesca.blogspot.com.br
http://arqtodescadois.blogspot.com.br/
desvela, sem titubear, meu modo de vida na contemporaneidade.
Caloroso abraço! Saudações autênticas (como diria a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê)!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

Cine Reserva Cultural


Caros confrades/passageiros!
O meu amigo Sebastião Paz teve a gentileza de enviar-me esta promoção do Cine Reserva Cultural.
Como sou um néscio futebolístico esta promoção não me apetece.
Caloroso abraço! Saudações cinéfilas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Credulidade

Caros confrades/passageiros!
A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, não resistiu quando viu este anúncio num dos imperdíveis blogs do Todesca:
http://arqtodesca.blogspot.com.br
http://arqtodescadois .blogspot.com.br
e não sossegou até ver que de fato o publiquei aqui neste vagão do Expresso do Oriente, porque ela tem uma prima lusa, a Maria das Angústias Piedade Ferreira, que reside na cidade de Figueira da Foz e já teve o dissabor de ter uma consulta com o trambiqueiro do Mestre Konate, todavia o farsante, apesar de ter cobrado 90 euros e prometido que depois de 15 dias o ser amado da Maria das Angústias voltaria, depois de 30 dias - nada - do retorno do ser amado e, pior ainda, o astrólogo farsante não devolveu o dinheiro pago e mandou-a reclamar ao Bispo.
A mexeriqueira mor sugeriu a Piedade que solicite os valiosos préstimos do nobilíssimo jurista, o meu Amigo Pedro Coimbra, com o escopo indicar-lhe um advogado de Figueira da Foz para processar o farsante por propaganda enganosa.
Fico cá a refletir o que leva as pessoas a acreditarem nestes farsantes que exploram a credulidade de outrem.
Caloroso abraço! Saudações realistas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

terça-feira, 10 de junho de 2014

João Batista


Caros confrades/passageiros!
Fiquei enternecido quando li as reminiscências do tempo de petiz do meu querido amigo João Batista, que completou 62 anos e, com sua devida anuência, publico no nossa página "Memória Familiar a enternecedora história da família do João Batista. O João Batista é um escritor e cozinheiro supimpa!
Enquanto ele chorava, mamava e dormia, fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película:
"Singin' in the Rain", aqui intitulada "Cantando na Chuva"
LUZES! CÂMERA! AÇÃO!
                                                
Caloroso abraço! Saudações memorialistas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

"Há exatamente 62 anos, os moradores do terceiro quarteirão da Rua 14 de Julho, ouviram ecoar, lá do número 539, o forte vagido de um bebê e logo todos adivinharam: “Mais um Alzira. Coitada, já tem tantos...”
Nascia, portanto, eu, quase às vésperas de Santo Antonio e pela graça de Deus, deram-me o nome de João Batista, já que havia um Antonio mais velho na família. Livrei-me de ser chamado por Tonho ou Toinho, ou Totô!
Era a 12º gestação de minha mãe e o 6º e último filho que “vingou”. Sou, portanto, o caçula, o “rapa de tacho”, o “resto de placenta”...
Logo após o parto, minha mãe foi internada numa Clínica em São Paulo com o diagnóstico de “esgotamento nervoso” e por lá ficou num longo período.
Os filhos foram repartidos pelas casas dos padrinhos ou tios e o bebezinho João Batrista ficou aos cuidados de minha tia Beatriz que ainda amamentava sua 6ª filhinha, minha prima Adelaide, também, recém-nascida.
Contava ela que passava noites sem dormir com o choro dos dois bebês. Dava o peito para a filhinha e uma mamadeira para o sobrinho (a mamadeira era uma garrafa de guaraná caçulinha com um enorme bico de borracha na ponta). Certa noite, caindo de sono tentava amamentar o sobrinho que chorava muito. Tentava colocar o bico da mamadeira na boca do garotinho, mas ele não pegava e continuava a berrar a plenos pulmões. A coitada acendeu a luz e só aí percebeu que o garotinho havia virado de “bunda pra cima”. Na tentativa de colocar a mamadeira na “boca” do bebê, conseguiu melecá-lo todo de leite, inclusive deixando a parede totalmente respingada, também.
Não sei quanto tempo fiquei com ela, foi mais de um ano, pois no meu primeiro aniversário, fizeram um bolo e levaram um pedaço para minha mãe lá na Clínica. Disseram que minha mãe não se lembrava, ainda, que tinha um filho bebê.
Meu pai, coitado, ficava “meio vendido” com a esposa internada e os 6 filhos espalhados em casas separadas. Mas a solidariedade das pessoas era marcante naquela época e todos tinham o maior carinho e zelo pelas crianças de Dona Alzira e mesmo não tendo boas condições financeiras cuidaram de nós com a maior responsabilidade e dedicação. Difícil de acreditar nisso, hoje em dia!
Durante toda nossa infância fomos cercados pelo amor e carinho dessas pessoas: padrinhos, madrinhas, tios, tias e primos e tenho muita saudade daquele tempo e daquela Rua 14 de julho e hoje, embora muito modificada, ainda me emociono quando passo por lá. Parece que revejo as crianças e mulheres nas calçadas conversando e chamando umas às outras de comadres: comadre Amélia, comadre Angelina, comadre Beatriz, comadre Alzira, Comadre Maria, etc.tc.
Sou um privilegiado por ter tido duas mães e tantas madrinhas e padrinhos. Quando a saudade aperta, eu, meus irmãos e primas nos reunimos para relembrarmos aqueles tempos e dos personagens de nossa infância. Não cansamos de repetir as mesmas lembranças, mesmo que às vezes as lágrimas aflorem aos nossos olhos."
E vamos parar por aqui, senão vai ser difícil dormir e acordar com 62 anos...parece que foi ontem!
(10 JUN 952-10 JUN 014)

Equívoco

Caros confrades/passageiros!
É de praxe o periódico "Diário do Grande ABC" publicar as missivas enviadas pelos leitores no máximo em três dias, quando isto não ocorre é porque não a avaliaram pertinente para publicação.
Isto posto, não considerei ético o posicionamento do periódico em não tornar de domínio público o equivoco que cometeu na reportagem que o historiador e doutorando, Renato Alencar Dotta, concedeu ao Diário, limitando-se a pedir desculpas de maneira privativa, conforme atesta o teor da missiva eletrônica que recebi do editor de política, que transcrevo a seguir:

"Boa tarde, professor.
Eu, como editor do caderno de Política, averiguo o ocorrido para, posteriormente, enviar-lhe uma resposta mais embasada.
Mas, desde já, peço desculpas pelo equívovo e reitero compromisso de não mais cometê-lo.
Transmita, por favor, nossa lamentação e também nossas sinceras desculpas ao historiador Renato Alencar Dotta.
Na certeza de sua compreensão,
Roberto Silva
Editor de Política"

não tornando de domínio público o equivoco cometido.
Este posicionamento é típico daqueles que veem a notícia como instantânea e descartável e fadada ao esquecimento, desconsiderando-a como fonte de pesquisa.
Fico cá a divagar quantas reportagens tiveram o mesmo equívoco e o leitor - posteriormente - não foi informado.
Caloroso abraço! Saudações desapontadas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

segunda-feira, 9 de junho de 2014

A Ilha do Conhecimento

Caros confrades/passageiros!
Não vejo a hora de ver sair do prelo a edição em Português do certamente imperdível livro "A Ilha do Conhecimento", da lavra do sapiente cientista e escritor Marcelo Gleiser.
Ele informou na coluna semanal, que escreve no periódico "Folha de São Paulo", que será no mês de julho o lançamento da edição no nosso idioma.
Caloroso abraço! Saudações gleiserianas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver
LUZES! CÂMERAS! AÇÃO! 
 

Google+ Badge